Página do Projecto RCAAP (Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal)

Nota à navegação com tecnologias de apoio: nesta página encontra 3 elementos principais: menu principal (tecla de atalho 1); menu de acções RCAAP (tecla de atalho 2) e conteúdo principal (tecla de atalho 3).

Notícias | RCAAP - Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal

Teses e Dissertações: formatos autorizados para efeitos de depósito nos RI's agregados pelo RCAAP

Quarta, 09 Dezembro 2015 14:35

A crescente disponibilização de trabalhos relativos às Teses de Doutoramento e Dissertações de Mestrado tem vindo a revelar-se nos números destas coleções nos Repositórios Institucionais.

A preocupação na gestão deste tipo de trabalhos tem tido a nível internacional e nacional um empenho cada vez maior na sua disseminação, gestão e preservação a longo prazo.

É precisamente este trabalho de agregar e difundir a informação das Teses e Dissertações que, a nível nacional, foram desenvolvidas diligências ao nível da reformulação do processo de depósito legal dos trabalhos.

O artigo 50º do Decreto-Lei n.º 115/2013 de 7 de agosto estabeleceu a obrigatoriedade de depósito de uma versão digital das teses de doutoramento, de outros trabalhos que, nos termos da lei, substituam estas no processo de obtenção do grau de doutor e das dissertações de mestrado num repositório integrante da rede RCAAP, operado pela FCT.

Por sua vez, a Portaria 285/2015 de 15 de setembro cometeu ao Conselho Diretivo da FCT a aprovação, por despacho, da lista de formatos autorizados no depósito dos registos agregados pelo portal RCAAP. Esta lista está balizada pela exigência, constante da Portaria, de que esses formatos sejam formatos "abertos, amplamente reconhecidos na comunidade, que assegurem a interoperabilidade técnica e semântica, e que garantam a acessibilidade, legibilidade e integridade do seu conteúdo a longo prazo".

O Despacho nº14167/2015  de 01 de dezembro efetiva a definição do conjunto de requisitos técnicos do depósito, designadamente no que respeita aos formatos de ficheiros e à descrição dos trabalhos.

ConfOA 2016: chamada de trabalhos e alteração de datas

Quinta, 03 Dezembro 2015 10:03

Dando continuidade ao assinalável êxito das edições anteriores, a 7ª Conferência Luso Brasileira de Acesso Aberto (ConfOA) irá realizar-se no Instituto Politécnico de Viseu nos dias 2 e 3 de novembro de 2016 (com workshops pós-conferência previstos para o dia 4 de novembro).*

A Conferência pretende reunir as comunidades portuguesa e brasileira, que desenvolvem atividades de investigação, desenvolvimento, gestão de serviços e definição de políticas relacionadas com o acesso aberto ao conhecimento e à ciência aberta, com o objetivo de promover a partilha, discussão e divulgação de conhecimentos, práticas e investigação sobre estas temáticas, em todas as suas dimensões e perspectivas.

Os temas a serem tratados no âmbito da Conferência são os seguintes:

  • Acesso Aberto e Ciência Aberta (práticas e implicações)
  • Repositórios de publicações científicas;
  • Revistas científicas de acesso aberto;
  • Gestão de dados científicos abertos e repositórios de dados científicos;
  • Políticas e mandatos de acesso aberto;
  • Publicação institucional (editoras universitárias e outras iniciativas)
  • Interoperabilidade entre os repositórios e outros sistemas de informação de apoio à atividade científica e académica;
  • Sistemas de gestão da Ciência e Tecnologia (CRIS);
  • Preservação digital;
  • Direitos de autor;
  • Acesso aberto, bibliometria e métricas alternativas.

Convidamos todos os interessados a submeter os seus trabalhos (nas modalidades de Comunicação e Póster) a partir de agora, através do website da conferência http://confoa.rcaap.pt.

Caso tenha alguma dúvida ou questão, poderá contactar-nos através do email Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar .

Acompanhe-nos nas redes sociais: Facebook: https://goo.gl/wQZHIR  e Twitter: https://twitter.com/confoa

*Devido à reintrodução do feriado nacional no dia 1 de novembro, as datas da 7ª ConfOA foram alteradas para 2 e 3 de novembro, e os workshops passaram de pré-conferência para pós-conferência a 4 de novembro.

Auditoria aos Repositórios Científicos Institucionais de Portugal revela fiabilidade na gestão e preservação de objetos digitais

Quinta, 03 Dezembro 2015 09:53

O RCAAP (Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal), operado pela unidade FCCN da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT|FCCN) com o apoio da Universidade do Minho, concluiu a auditoria que tinha como objetivo aferir o nível de conformidade da infraestrutura de suporte aos repositórios SARI (Serviço de Alojamento de Repositórios Institucionais) relativo ao referencial normativo ISO 16363:2012 - Audit and certification of trustworthy digital repositories. Esta auditoria interna revelou um elevado nível de maturidade relativamente ao cumprimento dos requisitos normativos, estando os repositórios integrados no serviço SARI bem preparados em termos de infraestrutura, fiabilidade e segurança na preservação de objetos digitais.

A auditoria agora terminada é o culminar de uma necessidade identificada em 2012, pela equipa do projeto RCAAP,  para melhorar as práticas e suporte no domínio da preservação digital e fazer face às crescentes responsabilidades relativas ao depósito legal das teses e dissertações e à implementação da política de acesso aberto da FCT. Efetivamente, a 15 de setembro foi aprovado o Regulamento Técnico de Depósito de Teses e Trabalhos de Doutoramento e de Dissertações de Mestrado (Portaria nº 285/2015). Esta Portaria obriga ao depósito de uma cópia digital num repositório integrante da rede RCAAP. Por outro lado, a Política de Acesso Aberto da FCT, aprovada em 16 de janeiro de 2014 e aplicável às publicações resultantes do financiamento concedido em concursos lançados desde de 5 de maio de 2014, defende a disponibilização dos resultados da investigação científica através da internet, de forma aberta, livre e sem custos para o utilizador.

Por estes motivos, para que os processos tivessem os níveis de confiança necessários para os diferentes intervenientes, revelou-se necessário proceder a uma auditoria interna que permitisse aferir o nível de maturidade dos vários repositórios que integram a rede SARI, em três dimensões: Infraestrutura Organizacional (1ª fase); Gestão de Objetos Digitais e Infraestrutura e Gestão da Segurança (2ª fase).

Na 1ª fase, os responsáveis pelos repositórios, associados à dimensão infraestrutura organizacional, foram convidados a fornecer evidências para todos os níveis de conformidade da referida dimensão e a realizarem um exercício de autoavaliação para cada um dos requisitos do referencial normativo em análise. Nesta dimensão, os repositórios institucionais obtiveram, numa escala de 1 a 4, na auditoria preliminar (de diagnóstico) uma avaliação média de 2.1. Na sequência da implementação de uma parte significativa das recomendações da auditoria de diagnóstico o valor médio aumentou para 3.4 na auditoria final.

Na 2ª e última fase, após análise de todas as evidências, o serviço SARI foi capaz de aumentar, numa escala de 1 a 4, o seu nível de maturidade relativamente ao cumprimento dos requisitos do referencial normativo ISO 16363, de 2.8 para 3.7 para a dimensão Gestão de Objetos Digitais. Por sua vez, no que diz respeito aos requisitos referentes à infraestrutura e gestão da segurança, o repositório aumentou o seu nível de maturidade média de 2.6 para 3.8.

O projeto Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal (RCAAP), gerido pela FCT|FCCN, com o suporte científico e técnico da Universidade do Minho, visa aumentar a visibilidade, acessibilidade e a divulgação da produção científica nacional e integrar Portugal nas iniciativas internacionais no domínio do Open Access e infraestruturas de apoio à ciência.

Para além do serviço eletrónico de alojamento de repositórios institucionais (SARI), nos últimos anos, o projeto RCAAP alargou o seu âmbito de atuação, desenvolvendo novos serviços para servir a comunidade científica portuguesa. Entre estes destacam-se o serviço de alojamento de revistas científicas (SARC), o serviço centralizado de estatísticas de uso (SCEUR) e o repositório de dados científicos.

Open Access Week 2015

Quinta, 01 Outubro 2015 11:38

Irá decorrrer de 19 a 25 de outubro de 2015 a Semana Internacional do Acesso Aberto (Open Access Week), enquadrada na iniciativa internacional promovida pela SPARC (Scholarly Publishing and Academic Resources Coalition) que tem como objetivo disseminar o Acesso Aberto.

Tal como aconteceu em anos anteriores, contamos que os repositórios institucionais / revistas nos façam chegar todas as atividades desenvolvidas com conteúdos científicos / académicos / educativos, relacionados com a temática.

Neste momento, já é possível descarregar e reutilizar todo o material de comunicação promocional, produzido no âmbito do grupo de trabalho de divulgação do projeto RCAAP, por todas as instituições, públicas ou privadas.

A nível internacional, os eventos que irão decorrer serão divulgados em www.openaccessweek.org.

Todas as iniciativas são importantes, interessantes e todas ocupam o seu lugar de destaque.

Consultem-nos e sigam-nos em:

Perguntem-nos ou informem-nos em:
 
  • Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

CALL VII: Conferência Luso Brasileira de Acesso Aberto

Quinta, 03 Setembro 2015 10:34

Informa-se todas as Instituições do sistema científico e de ensino superior nacional que se encontra aberto o período para apresentação de candidaturas para acolhimento da 7ª Conferência Luso Brasileira de Acesso Aberto.

As conferências Luso Brasileiras de Acesso Aberto surgiram na sequência do Memorando de Entendimento assinado entre os Ministérios da Ciência e Tecnologia de Portugal e do Brasil em outubro de 2009. A primeira foi organizada em 2010 pela Universidade do Minho e a sexta irá realizar-se-á de 4 a 7 de outubro de 2015 em Salvador da Bahia, Brasil.

Estas conferências pretendem reunir as comunidades brasileiras e portuguesas que desenvolvem actividades (pesquisa, desenvolvimento, gestão de serviços, definição de políticas, etc) relacionadas com o Acesso Aberto ao conhecimento científico.

As instituições que estejam interessadas em acolher a 7ª Conferência Luso Brasileira de Acesso Aberto deverão, até ao dia 7 de setembro de 2015, comunicar esse interesse enviando uma mensagem de correio eletrónico para o endereço Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar , com os seguintes elementos:

  1. Nome e breve caracterização da Instituição;
  2. Motivação para acolherem a conferência;
  3. Composição da comissão organizadora local (1 a 2 elementos) que será responsável por, em articulação com a comissão organizadora permanente portuguesa e brasileira, organizar a conferência;
  4. Caracterização dos espaços considerando que: 

a) É necessário um auditório com capacidade para cerca de 250 pessoas;

b) São necessários espaço(s) junto ao local da conferência para afixação dos posters, para a realização de coffee breaks e de almoços e para o registo dos participantes;

c) É desejável dispor de outra sala/auditório com capacidade para cerca de 100 pessoas (para o caso de ser necessário realizar sessões paralelas)

d) É desejável dispor de 1 ou 2 salas pré/pós evento, com capacidade para entre 50 e 100 pessoas, para eventuais tutoriais/oficinas conferência;

5. Caracterização dos serviços de áudio e vídeo indicando não apenas as principais características do equipamento disponível em cada um dos espaços com também os potenciais recursos para os operarem;

6. Confirmação da disponibilidade em assegurar as actividades de logística considerando que é necessário tratar dos aspectos relacionados com as inscrições e coffe-breaks de todos os participantes; o alojamento, viagens e refeições dos convidados; o merchandising (pastas/mochilas, pendurantes/crachats e eventualmente outros materiais) e ainda materiais de promoção, divulgação e sinalética bem como a relação com potenciais patrocinadores;

7. Custos a suportar pela FCT / FCCN. Considerando uma estimativa global dos custos totais do evento (viagens e alojamento de convidados, merchandising e materiais de promoção, coffee-breaks, refeições dos membros da comissão organizadora, científica e convidados, etc.), a existência de eventuais patrocínios e de suporte financeiro da própria instituição, quais os custos que teriam de ser suportados pela FCCN.

A FCCN assegurará a gravação e difusão do evento bem como a disponibilização da plataforma de gestão da conferência.