Página do Projecto RCAAP (Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal)

Nota à navegação com tecnologias de apoio: nesta página encontra 3 elementos principais: menu principal (tecla de atalho 1); menu de acções RCAAP (tecla de atalho 2) e conteúdo principal (tecla de atalho 3).

Notícias | RCAAP - Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal

Serviço de Registos de DOIs para Revistas Científicas – 1ª Call 2019

Quarta, 20 Março 2019 14:23

Período de manifestação de interesse

 

Informam-se todas as Instituições do sistema científico e de ensino superior nacional que publicam Revistas Científicas que, de 20 de março a 30 de abril de 2019, se encontra aberta a call para apresentação de candidaturas para a criação de contas de atribuição de identificadores persistentes (DOIs - Digital Object Identifier) a documentos científicos no Serviço de Atribuição de Identificadores Persistentes do RCAAP (Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal).

O serviço DOI
O Serviço de Atribuição de Identificadores Persistentes (serviço DOI) destina-se a ser utilizado, gratuitamente, por revistas científicas para atribuição de DOIs a documentos produzidos no âmbito de investigação académica e científica. A adesão ao serviço consiste na atribuição de uma conta de acesso à plataforma da Agência de Registo DataCite, com um prefixo específico associado e uma quota anual de DOIs para atribuir aos documentos publicados pela revista científica, dentro dos padrões definidos pelo serviço, assim como formação e serviço de apoio de primeira linha (helpdesk) à sua utilização. A gestão da atribuição dos DOIs é da responsabilidade da revista associada à conta. A equipa RCAAP fornece apoio inicial e formação básica para configuração de sistemas de  atribuição automática de DOIs.

Candidatura
As revistas científicas que estejam interessadas em obter o serviço DOI deverão, até ao dia 30 de abril de 2019, comunicar esse interesse preenchendo o formulário online abaixo indicado.

Critérios de elegibilidade
Da análise das manifestações de interesse resultará a seleção de candidaturas de revistas científicas para passarem a integrar o Serviço de Atribuição de Identificadores Persistentes - serviço DOI. Serão considerados os seguintes critérios de elegibilidade para as revistas científicas:

Processo de seleção
A seriação das revistas científicas para efeitos de seleção à prestação do serviço será realizada com base nos seguintes critérios:
  • Utilização de uma plataforma de gestão editorial Open Journal System (OJS);
  • Maior longevidade da publicação;
  • Maior número de artigos revistos por pares publicados nos últimos 3 anos.

NOTA IMPORTANTE: As revistas que integram o Serviço de Alojamento de Revistas (SARC) estão dispensadas deste processo por já usufruirem da atribuição de identificadores no âmbito do serviço prestado.

Link do formulário de candidatura: https://goo.gl/forms/LmMLrfLwZlY9UkGz1

Serviço de Registos de DOIs para Instituições – 1ª Call 2019

Quarta, 20 Março 2019 14:08

 

Período de manifestação de interesse

 

Informam-se todas as Instituições do sistema científico e de ensino superior nacional que, de 20 de março a 30 de abril de 2019, se encontra aberta uma call para apresentação de candidaturas para a criação de contas de atribuição de identificadores persistentes (DOIs - Digital Object Identifier) a documentos científicos no Serviço de Atribuição de Identificadores Persistentes do RCAAP (Repositórios Científicos de Acesso Aberto de Portugal).A candidatura deverá ser feita ao nível das instituições e não das respetivas unidades orgânicas.

O serviço DOI
O Serviço de Atribuição de Identificadores Persistentes (serviço DOI) destina-se a ser utilizado, gratuitamente, por qualquer das instituições do sistema científico e ensino superior para atribuição de DOIs a documentos produzidos no âmbito de investigação académica e científica. A adesão ao serviço consiste na atribuição de uma conta de acesso à plataforma da Agência de Registo DataCite, com prefixos específicos associados e uma quota anual de DOIs para atribuir aos documentos produzidos pela instituição, dentro dos padrões definidos pelo serviço, assim como formação e serviço de apoio de primeira linha (helpdesk) à sua utilização. A gestão da atribuição dos DOIs é da responsabilidade da instituição associada à conta. A equipa RCAAP fornece apoio inicial e formação básica para configuração de sistemas de  atribuição automática ou atribuição manual de DOIs.

Candidatura
As instituições que estejam interessadas em obter o serviço DOI deverão, até ao dia 30 de abril de 2019, comunicar esse interesse preenchendo o formulário online abaixo indicado.

Critérios de elegibilidade
Da análise das manifestações de interesse resultará a seleção de instituições para passarem a integrar o Serviço de Atribuição de Identificadores Persistentes - serviço DOI. Serão considerados os seguintes critérios de elegibilidade para as instituições:

  • A instituição tem recursos integrados no portal RCAAP;
  • Os recursos existentes no portal RCAAP cumprem com as Condições de Agregação do Portal RCAAP;
  • Os documentos a depositar são na maioria revistos por pares.
Processo de seleção
A seriação das instituições para efeitos de seleção à prestação do serviço será realizada com base nos seguintes critérios:
  • Maior percentagem de documentos sem erros no portal RCAAP;
  • Maior percentagem de documentos em acesso aberto;
  • Maior percentagem de teses registadas no RENATES (se aplicável).
  • Maior percentagem de tipologias de documentos diferentes de Teses e Dissertações

Alguns serviços são excluídos deste processo por já usufruírem da atribuição de identificadores:

  • Revistas inseridas no Serviço de Alojamento de Revistas - SARC
  • Todas as teses e dissertações registadas no RENATES
Link para formulário de candidatura: https://goo.gl/forms/dk1BRmm41nTBV10B3 

 

Implementação do Plano S - reação do RCAAP e apelo à comunidade

Terça, 05 Fevereiro 2019 11:15

Em Setembro de 2018, uma coligação de financiadores europeus designada  cOAlition S lançou o Plano S, uma iniciativa que visa acelerar a transição para o acesso aberto, definindo um objetivo - a partir de 2020 as publicações científicas resultantes de investigação com financiamento público devem ser publicadas em acesso aberto - e 10 princípios.

 

A publicação do Plano S deu origem a inúmeras tomadas de posição e reações, entre as quais a  “Posição de Portugal e da FCT em relação ao Plano S”, na qual a FCT manifestou apoio aos objetivos do Plano S, recomendando que a sua configuração e programa de implementação sejam discutidos a nível nacional e internacional, no sentido de, entre outros aspetos,  garantir a valorização das redes de repositórios existentes, aproveitando os recursos que integram e capitalizando o investimento realizado, e que os modelos de transição, nomeadamente através da “via dourada”, não reforçam a natureza monopolista no mercado editorial científico.

 

Posteriormente, em novembro de 2018, a cOAlition S tornou públicas orientações mais detalhadas sobre a implementação do Plano S, através da Guidance on the Implementation of Plan S, convidando toda a comunidade a dar parecer e enviar comentários até às 16H (de Portugal continental) do próximo dia 8 de fevereiro de 2019, através de um formulário de feedback.

 

As orientações sobre a implementação do Plano S clarificam o seu objetivo e âmbito  de aplicação - o Plano S visa o acesso aberto pleno e imediato a publicações de investigação financiada por fundos públicos -, e esclarecem que a conformidade com o Plano pode ser conseguida através da publicação em revistas de acesso aberto, do depósito em repositórios de acesso aberto, e ainda através da publicação em acesso aberto em revistas de assinatura ("acesso aberto híbrido") ao abrigo de acordos transformativos. O documento inclui ainda uma secção com orientações técnicas e requisitos relativos a licenciamento e direitos de autor, revistas e plataformas, repositórios e acordos transformativos.O RCAAP está ainda a ultimar uma tomada de posição sobre as orientações para a implementação do Plano S, que será tornada pública aqui, e enviada para a cOAlition S, através do seu formulário de feedback. Em síntese, nessa tomada de posição o RCAAP:

 

  1. Reafirma a posição de Portugal, através da FCT, de apoio aos objetivos do Plano S e manifesta a vontade e a capacidade do RCAAP de colaborar ativamente para a sua concretização; 
  2. Congratula-se com o reconhecimento explícito das diferentes vias de cumprimento do Plano S, nomeadamente através do depósito de publicações em repositórios de acesso aberto; 
  3. Considera positivo que a  cOAlition S reconheça explicitamente a importância de diversidade de modelos de publicação, nomeadamente sem recurso a APCs (Article Processing Charges) e esteja disponível para apoiar o estabelecimento de revistas, plataformas e infra-estruturas de acesso aberto; 
  4. Acolhe favoravelmente a definição de requisitos para revistas, plataformas, repositórios e acordos transformativos, incluídos na secção “Technical Guidance and Requirements”. No entanto, apesar da concordância genérica com muitos desses requisitos, o RCAAP expressa preocupações e discordâncias com vários aspetos e  apresenta algumas recomendações, nomeadamente: 
  • Tal como estão presentemente formulados, os requisitos técnicos são demasiado exigentes o que pode resultar em que apenas os grandes editores e os grandes repositórios bem financiados se tornem conformes com o Plano S. Nesse sentido, o RCAAP concorda genericamente com a resposta da Confederação de Repositórios de Acesso Aberto - COAR’s response to draft implementation requirements in Plan S -  sugerindo que vários dos requisitos técnicos sejam alterados e clarificados, se transformem em recomendações ou sejam abandonados e substituídos; 
  • O RCAAP recomenda que, à semelhança do estabelecido para as revistas, para a conformidade dos repositórios sejam definidos "Critérios básicos obrigatórios" e "Critérios adicionais recomendados". 
  • O RCAAP recomenda que, à semelhança do que acontece com os acordos transformativos, se estabeleça uma estratégia incremental na aplicação de requisitos técnicos em repositórios, estabelecendo um período de transição, com prazos e objetivos definidos, para o cumprimento de todos os requisitos; 
  • Finalmente, o RCAAP recomenda que, para a definição da versão final das orientações de implementação, nomeadamente no que diz respeito aos requisitos técnicos,  a cOAlition S consulte os especialistas e as suas organizações representativas (como a COAR, a OASPA e outros);

 

Para além da posição que o RCAAP irá transmitir, apelamos a toda a comunidade RCAAP para que se envolva neste processo de consulta pública, enviando comentários, opiniões, sugestões e recomendações, desejavelmente alinhadas com as tomadas de posição da FCT e do RCAAP,  em nome individual ou das instituições que representam, até ao próximo dia 8, às 16H de Portugal continental.

10ª ConfOA: inscrições abertas

Segunda, 21 Janeiro 2019 15:53
Encontram-se abertas as inscrições para a 10ª Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta que em 2019 viaja até à Amazónia.

 Este ano, a ConfOA é acolhida conjuntamente pela Universidade Federal do Amazonas, a Universidade do Estado do Amazonas e o Instituto Federal do Amazonas. A 10ª ConfOA decorrerá em Manaus, de 1 a 4 de outubro, com abertura e um pré-workshop no dia 1, o programa principal da conferência nos dias 2 e 3, e workshops pós-conferência previstos para 4 de outubro.

Mantendo o tema das duas ConfOA anteriores “Do Acesso Aberto à Ciência Aberta”, a 10ª ConfOA, assume a mudança de designação para Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta,  consagrando o alargamento do seu âmbito. A ConfOA pretende reunir as comunidades portuguesa, brasileira, bem como dos restantes países lusófonos, que desenvolvem atividades de investigação, desenvolvimento, gestão de serviços e definição de políticas relacionadas com a ciência aberta, em todas as suas dimensões, como o acesso aberto a publicações e a dados de investigação. A ConfOA assume-se como o espaço privilegiado para promover a partilha, discussão e divulgação de conhecimentos, práticas e investigação sobre estas temáticas, em todas as suas vertentes e perspetivas.

 

As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas em: http://confoa.rcaap.pt/2019/

Outras informações relativas à 10ª ConfOA estão ou estarão brevemente disponíveis aqui.

 

10ª ConfOA: chamada de trabalhos

Segunda, 21 Janeiro 2019 11:51

A 10ª Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta (ConfOA) viaja até à Amazónia em 2019. Este ano, a ConfOA é acolhida conjuntamente pela Universidade Federal do Amazonas, a Universidade do Estado do Amazonas e o Instituto Federal do Amazonas. A 10ª ConfOA decorrerá em Manaus, de 1 a 4 de outubro, com abertura e um pré-workshop no dia 1, o programa principal da conferência nos dias 2 e 3, e workshops pós-conferência previstos para 4 de outubro. Mantendo o tema das duas ConfOA anteriores “Do Acesso Aberto à Ciência Aberta”, a 10ª ConfOA, assume a mudança de designação para Conferência Luso-Brasileira de Ciência Aberta,  consagrando o alargamento do seu âmbito. A ConfOA pretende reunir as comunidades portuguesa, brasileira, bem como dos restantes países lusófonos, que desenvolvem atividades de investigação, desenvolvimento, gestão de serviços e definição de políticas relacionadas com a ciência aberta, em todas as suas dimensões, como o acesso aberto a publicações e a dados de investigação. A ConfOA assume-se como o espaço privilegiado para promover a partilha, discussão e divulgação de conhecimentos, práticas e investigação sobre estas temáticas, em todas as suas vertentes e perspetivas.

Assim, convidamos a comunidade a apresentar propostas de trabalhos sobre os seguintes temas:

  • Acesso Aberto e Dados de Investigação Abertos: sistemas, políticas e práticas
    • Repositórios digitais – institucionais, temáticos, de dados de investigação ou de património cultural
    • Revistas científicas de acesso aberto e tendências na comunicação e divulgação científica
    • Publicação institucional em acesso aberto
    • Gestão e partilha de dados de investigação - princípios FAIR, planos de gestão dados e infraestruturas para a gestão de dados de investigação
    • Definição, análise e avaliação de políticas institucionais e de financiadores
    • Modelos e padrões de metadados
    • Preservação Digital
    • Direitos de autor e acesso aberto
  • Ciência Aberta e outras expressões de conhecimento aberto
    • Ética, Integridade da Investigação e RRI (Investigação e Inovação Responsáveis)
    • Modelos tradicionais e alternativos de avaliação da Ciência (bibliometria e métricas alternativas)
    • Ciência cidadã
    • Dados governamentais abertos
    • Outras práticas de conhecimento aberto (hardware e software livre, educação aberta)
  • Gestão de informação de Ciência e Tecnologia
    • CRIS – Sistemas de Gestão de informação de Ciência e Tecnologia
    • Interoperabilidade entre sistemas de informação de apoio à atividade científica e académica
    • Normas e diretrizes
    • Identificadores persistentes

Acolheremos propostas sobre estes temas, bem como outros temas relacionados com os aspetos políticos, sociais, organizativos ou técnicos relacionados com a ciência aberta.

 

Processo de apresentação de propostas

Comunicações (Apresentação oral de 15 minutos)

 As propostas para comunicação devem ter um mínimo de 2 páginas e um máximo de 4 páginas (ver e utilizar o modelo de proposta de comunicação). As propostas devem apresentar investigação ou desenvolvimento originais, privilegiando-se os trabalhos que relatem casos gerais (ou seja relativos a mais do que uma instituição ou sistema) e/ou que tenham relevância para uma audiência alargada. As propostas com qualidade e relevância que não possam ser aceites como comunicações, poderão ser consideradas para apresentação como Pecha Kucha ou Póster.


Pecha Kuchas

Os Pecha Kucha são apresentações de 7 minutos, com não mais de 24 slides. As propostas deverão ter um mínimo de 1 página e um máximo de 2 páginas (ver e utilizar o modelo de proposta de Pecha Kucha). As propostas de Pecha Kucha podem apresentar trabalhos de investigação e desenvolvimento recentes ou em conclusão, e eventualmente casos concretos e localizados, mas com interesse e relevância geral. As propostas com qualidade e relevância que não possam ser aceites como Pecha Kucha poderão ser consideradas para apresentação como Póster.


Painéis

As propostas de painel deverão ter um mínimo de 1 página e um máximo de 2 páginas (ver e utilizar o modelo de proposta de painel). As sessões de painel devem versar sobre temas e assuntos (das tecnologias às políticas) que tenham potencial interesse para a maioria dos participantes na ConfOA. Os painéis devem incluir diversos participantes como apresentadores (e desejavelmente com diversidade de pontos de vista, contextos, etc.). O painel deve prever tempo para pequenas apresentações dos integrantes do painel, e tempo para discussão com a audiência. O tempo total do painel será de 90 minutos.


Pósteres

Convidamos a apresentação de propostas de pósteres, que devem ter 1 página (ver e utilizar o modelo de proposta de póster), que servem para apresentar trabalho ainda em desenvolvimento ou experiências locais. Os pósteres serão exibidos em formato papel ou formato digital (serão dadas indicações e instruções para a apresentação dos pósteres após a aceitação das propostas), e serão apresentados oralmente na sessão “O meu Póster num minuto”.

Workshops e Tutoriais

O último dia da ConfOA será dedicado à realização de workshops e tutoriais. Convidamos a apresentação de propostas de workshops e tutoriais sobre aspetos práticos ou teóricos relacionados com os temas da conferência. Deve ser utilizado o modelo de proposta de workshop ou tutorial, e a proposta de tutorial deve contemplar os seguintes aspetos:

  • O assunto e que conhecimentos se pretende transmitir
  • A dimensão da sessão (90 minutos, 180 minutos, ou dia completo)
  • O público-alvo e o número desejado de participantes
  • Os resultados de aprendizagem para os participantes
  • Requisitos tecnológicos e de espaço


Processo de avaliação

 Todas as propostas de comunicação e Pecha Kucha serão avaliadas por dois membros (um do Brasil e um de Portugal) da Comissão Científica e as propostas de Póster, Painel e Workshops serão avaliadas pela Comissão Organizadora. Aproximando-se das práticas de revisão por pares aberta, crescentemente defendidas como prática de ciência aberta, a revisão na ConfOA deixará de ser duplamente cega, e a identidade dos autores e dos avaliadores de cada trabalho será dada a conhecer.


Datas importantes:

21 de janeiro 2019: Chamada de trabalhos e abertura das inscrições

01  de abril 2019: Fim do prazo para apresentação de propostas

03 de junho 2019: Notificação da aceitação das propostas